Reynaldo Gianecchini (Foto: Reprodução/Instagram)
  • por Leandro Lel Lima

Junho de 2000. Parece que foi ontem, mas Laços de Família vai completar vinte anos desde a sua estreia na Globo. E graças ao escritor Manoel Carlos e ao diretor Ricardo Waddington conhecemos o talento e a beleza de Reynaldo Gianecchini. Na época o ator tinha 28 anos. Hoje aos 46 o artista encara com naturalidade, e sem neuras, o envelhecimento sem deixar de lado uma vida saudável regada a exercícios, yoga e uma boa alimentação.

Ao Observatório dos Famosos, o Régis de A Dona do Pedaço revelou como lida com a pressão para estar sempre bonito e em forma nas redes sociais e também nas telinhas. Depois de enfrentar um câncer em 2011, o artista passou a dar maior atenção ao seu corpo e também ao tempo das coisas: “Ele já não é aquele de 25 anos… Não sou mais um garotão. Tenho uma relação muito saudável com isso”.

Aceitação


“A gente vai percebendo as mudanças [no corpo], não sou mais um garotão. Eu adoro me cuidar, faço exercícios, cuido da minha alimentação. Fico impressionado, as pessoas se recusam a envelhecer. Eu quero parecer que tenho 46 anos e bem. É um caminho de muita infelicidade quando você não se aceita. Estou achando muito legal envelhecer. Fisicamente estou aprendendo a me gostar de um outro jeito. Você olha no espelho e diz: ‘caramba, tem uma marquinha a mais’. Na outra semana você acostuma, e fala: ‘Tem um novo eu’”.

Pressão entre homens e mulheres

“Eu percebo a diferença. É mais cruel pra mulher. Mas temos que parar de dar vazão aos comentários… Eu tenho uma rede social forte, vejo tudo com muito discernimento e distanciamento. Lá tem todo tipo de comentário. Ih, ele já não aquele de 25 anos… Não sou mesmo. Tenho uma relação muito saudável com isso. Tem a ver com saúde, gosto de correr na praia, yoga. Isso me ajuda muito. E a alimentação me ajudou muito depois do meu tratamento. Eu fiquei bem mais sério com a alimentação”.

Um homem sexy

“É muito difícil ter essa imagem da gente. Ser sexy é deixar aflorar…Tem momento que a gente está mesmo. Todo mundo tem esse momento. Mas eu não me olho e digo: ‘Como eu sou sexy’. Jamais”.

Momentos de lazer

“O ideal é ficar em casa com meus cachorros vendo televisão. Mano e Mafalda, bulldog franceses. Sempre fui muito paparicado pelas mulheres, e aí foi a primeira vez que eu fui cuidar de alguém. Isso abre um espaço no coração, é um amor por esses serezinhos. E com um filho esse amor deve ser em dobro. Como eles estavam muito mal educados, tive que contratar um adestrador”

Paixão pela arquitetura

“Arquitetura sempre chamou minha atenção. A minha casa do Rio contou muito com a minha eu participação. Eu acho tão elegante. Minha casa tem uma estética com conforto. É uma forma de se expressar. Tenho muitos amigos arquitetos. Adoro trocar uma ideia”.