Juliana Silveira
Juliana Silveira (Foto: Reprodução/ Instagram)

Aos 38 anos e com 25 de carreira, a atriz Juliana Silveira resolveu desbravar novos caminhos profissionais. Surfando na onda dos fãs conectados, ela lançou um aplicativo em que resgata momentos marcantes de sua trajetória – como a época em que interpretava a famosa Maria Flor, da novela Floribella (Band), compartilha momentos pessoais e lança quadros que exercitam sua comunicação com o público.

Se vai dar certo ou não, só o tempo vai dizer. Mas o feedback dos usuários, segundo ela, tem sido positivo. Até o filho da atriz, Bento, de 7 anos, participa do conteúdo: “Outro dia fiz uma live no Instagram com uma parceira para falar sobre beleza e universo feminino. Ele estava no futebol. Quando chegou, ele notou que o Ring Light estava ligado e perguntou se eu tinha feito uma live.

Respondi que sim e ele disse que queria muito fazer, ficou chateado ao não participar. Expliquei que ele não ia gostar do assunto, mas ele insistiu. Acho que temos um novo youtuber no pedaço (risos).”

Leia: Aos 38 anos! Juliana Silveira é exaltada por seguidores ao postar selfie de ‘cara lavada’

Futuro

Juliana conta ao Observatório da Televisão que demorou para se convencer a criar conteúdo para um app, mas que depois se convenceu de que o futuro está ali. Acostumada a se comunicar com seus ídolos através de cartas em sua adolescência, a atriz afirma que, atualmente, se tivesse a oportunidade de escolher um ídolo que tivesse um app como o dela, escolheria a cantora Beyoncé.

Leia: Juliana Silveira fala sobre amizade verdadeira com Angélica e descarta ser mãe novamente antes dos 41

“Sou muito fã de toda a sua trajetória como cantora e mais ainda como mulher. Ela conseguiu formar uma família, ter três filhos e continuar casada estando sempre no olho do furacão. É muita inteligência emocional em uma pessoa só. Essa inteligência me interessa mais até do que o talento que todos nós sabemos que ela tem.”

Confira a entrevista com Juliana Silveira na íntegra:

Como surgiu a ideia do app?

“A ideia do app surgiu do Arthur Marbá. Ele já tem o Carnablocos há 3 anos e enxergou a possibilidade de desenvolver um aplicativo para celebridades e atrizes. Fiquei assustada no início, demorei para me convencer e criar conteúdo nesse novo caminho. Não existe uma receita de bolo ou uma trajetória semelhante para você se inspirar. É um desafio diário e posso garantir: não é fácil. Estou feliz por construir algo novo dentro da minha história profissional”.

Qual o perfil dos assinantes?

“O aplicativo é para todas as pessoas que gostam de TV, que gostam dos bastidores da TV, para o meus fãs também, claro! É um canal em que eu exercito a comunicação direta com as pessoas, com uma linguagem que até então eu não tinha experimentado”.

Como você se organiza para escolher e gravar os conteúdos? Tem alguém que te ajuda?

“Nós somos uma equipe de cinco pessoas: Arthur, eu, a Priscila, que edita maravilhosamente bem, o Jean que é o programador/desenvolvedor e a Iasmim, que fotografa e filma. Todos nós damos ideias e recebemos e escutamos muito os fãs nas redes sociais. Criamos uma primeira leva de conteúdos para testes nesta primeira fase.

De acordo com a resposta dos usuários vamos desenvolvendo conteúdos novos ou damos continuidade ao que for bem aceito. Tenho muitos sonhos para serem implementados por ali. Espero que eu consiga realizá-los”.

Novo youtuber

O Bento curte aparecer com você nos vídeos?

“Ama. Outro dia fiz uma live no Instagram com uma parceira para falar sobre beleza e universo feminino. Ele estava no futebol. Quando chegou, ele notou que o Ring Light estava ligado e perguntou se eu tinha feito uma live. Respondi que sim e ele disse que queria muito fazer, ficou chateado ao não participar. Expliquei que ele não ia gostar do assunto, mas ele insistiu. Acho que temos um novo youtuber no pedaço (risos)”.

No seu app, há conteúdos abertos e outros exclusivos para assinantes. Em uma época em que existe muito conteúdo gratuito disponível nas redes, me parece ser cada vez mais difícil conquistar seguidores dispostos a pagar. Você concorda? Quais são os diferenciais do seu conteúdo pago?

“Eu concordo com você. As pessoas ainda não estão dispostas a pagar por conteúdo na internet. Esse foi mais um teste que me convenceram a experimentar, mas nunca estive muito segura deste caminho justamente por saber dessa informação. Sou uma heroína aprendiz. Estou desbravando a internet e o mundo dos aplicativos e estou testando todas as possibilidades que me são apresentadas.

Meus planos mais à frente incluem dramaturgia, que é algo que eu estou familiarizada e é um conteúdo elaborado. Mesmo assim não sei se o usuários estão dispostos a pagar por isso, mas sejamos honestos: existe um custo para produzir conteúdo de qualidade e ele não é baixo. O meu padrão de qualidade e a minha escola visual vêm da televisão. Estou desbravando todas essas novas equações e tentando criar um modelo que seja possível como negócio e que satisfaça o usuário e a mim, artisticamente falando”.

Reação dos fãs

O app ainda é novo, mas você já está recebendo bastante feedback do público? Como está sendo essa experiência para você?

“Recebemos feedback 24 horas por ali. Estamos entendendo quais quadros funcionam mais, quais os conteúdos preferidos e o efeito aplicativo fez com que meu engajamento e visualizações no Instagram aumentassem consideravelmente.

Na sua época de adolescente, em que a internet não era como hoje, como você buscava interagir com seus ídolos?

“Escrevia cartas para o programa da Xuxa e sonhava em conhecer meus ídolos pessoalmente, mas sabia que era impossível. Na época, eu amava Madonna e Michael Jackson. Aos 28 anos, eu tive a oportunidade de conhecer a Madonna em uma festa no Fasano, graças ao convite da Angélica e do Luciano Huck. O impossível aconteceu! Mas hoje eu tenho oportunidade de curtir os posts dela e mandar mensagens pela rede social.

Ela nunca respondeu, mas sem dúvida a rede social  aproximou e tornou possível uma comunicação direta entre o público e os artistas que antes não existia. Acho isso fantástico!”

Ídolos

Aliás… Se você pudesse escolher um ídolo que tivesse um app como o seu, que fala sobre a rotina e estreita o contato com os fãs, quem você escolheria e por quê?

“Escolheria a Beyoncé. Sou muito fã de toda a sua trajetória como cantora e mais ainda como mulher. Ela conseguiu formar uma família, ter três filhos e continuar casada estando sempre no olho do furacão. É muita inteligência emocional em uma pessoa só. Essa inteligência me interessa mais até do que o talento que todos nós sabemos que ela tem”.

Me fala sobre a sua relação com a internet… Por exemplo: você é daquelas que não consegue largar o celular? Já enjoou de redes sociais e quis dar uma sumida? Quais aplicativos você mais usa?

“Eu já enjoei das redes sociais e confesso que demorei para entender  o seu poder de comunicação e de negócios. Já sumi legal por um tempo e depois entendi que o futuro estava ali. Não era uma escolha, já estava determinado que todos nós teríamos que desenvolver algo em alguma rede social.

Os apps da Juliana

Eu sou usuária de muitos aplicativos! Os de música que eu uso são: Apple Music e TIDAL.

Não me rendi ao Spotify, não sei o motivo! Uso Uber, IFood, WhatsApp claro… Facetune – quem nunca? Class Dojo, da escola do meu filho, outro para avisar que estou chegando na escola para buscá-lo, os apps para serviço bancário, Guitar Tune para afinar o violão, ingresso.com para comprar meus ingressos do cinema, Booking para fazer reservas em hotéis nas viagens, Pinterest para pegar referências de imagens legais…. Enfim, sou uma boa usuária de aplicativos. Acho que o futuro está ali”.

Floribella

Dá uma nostalgia de quando você lembra de Floribella, no quadro que faz para seu app? Consegue eleger uma cena que tenha sido especialmente desafiadora ou emocionante de fazer nesta novela?

“Existiram muitos momentos especiais com essa personagem e ela ainda está muito forte na memória do público. A internet tem essa pegada moderna e futurista, mas carrega também uma onda nostálgica, de túnel do tempo. Aproveitamos esse link com os quadros “O que acontece na cena?” e “Pergunta que eu te falo”, todos com a temática Floribella para que os fãs possam matar a saudade e eu também. No futuro, vamos falar de novos projetos e apresentar novas opções para os usuários. Vamos construir juntos uma nova história por ali”.

Quais foram seus maiores aprendizados nesses 25 anos de carreira?

“Eu nunca quis ser atriz, mas nunca discuti com as oportunidades que a vida me trouxe. Aos poucos, juntando todas as peças do quebra cabeça e das minhas vivências, compreendi que eu era uma atriz. Ser atriz me curou de muitas questões emocionais mal resolvidas e de outras que eu não tinha consciência. Sou muito grata por tudo que eu vivi e por todas as emissoras em que eu trabalhei. Sou atriz e vou continuar sendo. Só me permiti experimentar outras linguagens enquanto outro personagem incrível não chega na minha vida. O aplicativo veio para somar!”

Projetos

E seus próximos projetos?

“Temos a série Cinema Café, que será veiculada no Cine Brasil TV, em janeiro de 2019. Faço a personagem Mel, uma prostituta que assalta um centro cultural para ajudar o marido. É uma comédia produzida pela atriz Paloma Duarte e dirigida pelo Paulo Fontenelle. Espero que vocês gostem tanto quanto eu gostei de fazer. Lançaremos  o aplicativo para IOS, na Apple Store, em 2019, e vamos desenvolver novos conteúdos para que o usuário fique satisfeito e feliz de estar ali conosco. Vamos ter muito trabalho pela frente”.

Inteligência emocional

Mudando um pouco de assunto… Vi alguns posts bacanas no seu insta sobre inteligência emocional. Quando esse assunto começou a te interessar?

“Sempre me interessou e está muito ligado ao meu trabalho de atriz. Tenho uma coach maravilhosa que me ajuda a criar as personagens e a estudar minhas cenas, a Patricia Carvalho, e ela tem o método Lupa que está fundamentado em princípios da física quântica. Minha qualidade de interpretação mudou depois que eu conheci a Patrícia. Quando resolvi encarar essa nova fase e explorar o mundo dos aplicativos, eu me senti insegura e, às vezes, eu ainda me sinto, e isso não é legal. A Danni Suzuki tinha acabado de voltar do Método CIS, em São Paulo, e a gente faz yoga juntas…

Ela me contou um pouco como era e disse que eu não podia perder a oportunidade de fazer. Peguei um avião para Brasília com o meu marido e fui conhecer o Paulo Vieira. Mudou minha vida! Ele é genial, tem muita segurança e realmente é uma cara que tem como propósito salvar vidas. Muitas fichas caíram depois desse curso. A gente vive uma vida de altos e baixos e normalmente isso está ligado a autossabotagem,  falta de autorresponsabilidade e ao não perdão.

Estou investindo em cursos de inteligência emocional para vencer esse novos desafios que eu mesma me propus. Não quero morrer na praia! Quero ser vitoriosa! Todos nós precisamos de uma rede de apoio. Fui buscar a minha e encontrei muitas respostas com o Paulo Vieira”.

Mudanças

O que já mudou na sua vida desde que passou a investir nisso?

“Estou mais focada. Quando algo começa a não apresentar o resultado desejado, não fico me iludindo inventando “historinhas” para me sabotar. Encerro o assunto e passo para outra fase, tento outra coisa. Eu já sabia que a gente não tem controle de nada, depois que me tornei mãe isso ficou bem claro pra mim. O Paulo Vieira me fez entender que eu não tenho o controle, mas eu tenho o comando do barco chamado vida. E não existe negociação quanto a isso. Eu que comando e sou responsável. Se não está legal, eu preciso tomar uma providência. A vida é um filme projetado pela mente. E a mente é governada pelos nossos desejos conscientes e inconscientes.

Precisamos limpar nosso “HD” dos traumas vividos para que eles não se repitam e para que isso não atrapalhe no decorrer da caminhada. A vida é uma jornada maravilhosa e os momentos incríveis acontecem fora da zona de conforto. Já me conformei com isso! Tchau, vida organizada e previsível. Para viver uma vida que vale a pena é necessário um grande investimento emocional, físico, financeiro e coragem. Muita coragem. Estou tentando colocar tudo isso em prática. Oremos para que tudo dê certo!”

Rapidinhas:

Último livro que leu (ou o que está lendo no momento): “O Poder da Autorresponsabilidade”, do PhD Paulo Vieira

Música ou estilo musical do momento: Ando ouvindo Beatles e Queen

Seu signo: Peixes

Uma mania esquisita: Tenho pensamento acelerado. Meu marido diz que eu mexo o boca como se estivesse falando mesmo depois de ter falado. Nunca vi, mas a chance de eu fazer é gigante. João [Vergara, designer] me conhece como ninguém.

Uma comida deliciosa: Italiana

Algo que ama fazer:  Yoga e meditação

Algo que odeia fazer: Lavar a louça