Rodrigo França (Foto: Reprodução/Instagram)

Edição: Beatriz Rodrigues

Neste sábado, (09), o ex-BBB, Rodrigo França presenciou uma abordagem policial feita a dois jovens de 19 anos, por volta das 14h00 horas em Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. O também professor, Rodrigo, que sofreu ataques racista dentro do reality, mobilizou um grupo de teatro e militantes do movimento negro contra a ação classificada por eles como truculenta e que resultou na prisão de um dos meninos. 

Automaticamente os videos do ocorrido correu a internet e muitos fãs ficaram preocupados. Em entrevista exclusiva ao Observatório dos Famosos, o ex-BBB 19 nos contou com detalhes o que acontecera em Salvador e ainda denunciou uma tortura dos PMs. Confira:


Observatório: Você viu os jovens sendo agredidos? O que de fato aconteceu?

Rodrigo: “Os atores da peça estavam indo almoçar e nós passamos pelo local que os meninos estavam sendo abordados. Nós saímos em defesa deles e assim os policias pediram reforço, abordando que haviam sido desacatados por eles. E não houve desacato em momento algum! Nós vimos a agressão, sim. Tudo começou justamento por causa de uma abordagem violenta. Nada justificava uma abordagem com armas letais. Os policiais já haviam feito a revista e viram que os meninos não estavam armados. Eles eram jovens de 18 anos e outro de 19 anos.Eles estavam trabalhando numa obra local e a própria comunidade, pessoas que estavam ao redor haviam dito que eles eram trabalhadores”.

Observatório: “O que os policiais falavam para eles?

R: “Eles falavam muito a palavra ‘desgraça’. Diziam: ‘Encosta desgraça…’, foram poucas palavras, sabe. E nós respondia-os informando: ‘Não há desacato aqui. Não precisa dessa truculência””. 

Observatório: Vocês acompanharam os meninos até a delegacia?

R: “Sim, a gente acompanhou o menino levado por meios próprios. Nós chamamos um Uber e ele fora levado por viatura”.

Observatório: A PM da Bahia iria prende-los? Você teve de atuar como advogado dos mesmos?

R: “Eu atuei como testemunha e automaticamente nos armamos uma rede de jornalistas e advogados para proteger os rapazes. E agora tem uma denuncia no Ministério Publico, sendo assim, cabe a eles acatar ou não. Mas eu acredito que irão acatar sim, porque o Anderson (o jovem levado para delegacia), disse que no caminho – dentro da viatura – sofreu tortura. Segundo o mesmo, isso aconteceu para que os policiais tivesses videos e áudios dele sendo ‘desrespeitoso’, entende ?”

Observatório: Eles foram liberados?

R: “A gente foi testemunha, né. Eu não conseguiria ser indiferente. A questão é saber responder calmamente e saber intermediar para que a integridade física deles fosse mantida.