Bruna Chaves (Foto: Divulgação/ Band)

Bruna Chaves, famosa após participação na terceira edição do reality show colunário Masterchef Brasil, da Band, usou as redes sociais neste domingo (29) parar desabafar após perder bebê aos quatro meses de gestação.

Leia também: Bruna Griphao queima a barriga na panela, mas não deixa de exalar sensualidade

A vice campeã da atração televisiva disse que os médicos não foram capazes de explicar o que aconteceu, uma vez que se tratava de uma gestação considerada saudável. A cozinha frisou luto.


“Infelizmente o coraçãozinho da nossa Melissa parou de bater semana passada, a quase 4 meses de gestação, e só descobrimos a alguns dias atrás. Até então estava tudo absolutamente normal, com os meus exames e com os dela, inclusive o de trombofilia e com a Análise de DNA Fetal, que não apontou nenhuma anomalia e o ultra-som Morfológico Translucência Nucal, que também não encontrou nenhum problema”, iniciou a famosa.

“Uma situação sem explicação e extremamente rara, especialmente levando em consideração que a “fase de risco” inicial do primeiro trimestre já havia passado, o bebê parou de crescer e se desenvolver… Eu tive um pequeno sangramento quinta-feira a noite em SP, que é relativamente comum durante a gravidez, mas sem nenhum outro sintoma. Na mesma hora entrei em contato com minha médica obstetra, que me instruiu a ir para o hospital, o procedimento padrão na situação. No hospital, fui examinada por uma médica, que declarou o colo do útero estava fechado, que não havia nenhum outro sinal de risco e aparentemente o sangramento não era sério. Mesmo assim, insisti em fazer um ultra-som. Ela viu então que o coraçãozinho do bebê não estava mais batendo e que ela parou de crescer poucos dias depois do último ultra-som que fizemos. O exame não mostrou nenhum trauma no útero, sem sangramento interno ou hematoma, nenhuma má formação aparente, nada que pudesse explicar o ocorrido”, continuou.

Veja mais: Paola Carosella curte férias em Alto Paraíso de Goiás e reflete sobre postura workaholic

“Todos os médicos nos afirmaram, que não poderíamos ter feito ou deixado de fazer absolutamente nada que fosse afetar o que aconteceu. Não foi de maneira alguma nenhum comportamento materno, falta de acompanhamento ou algo que passou despercebido nos exames. São coisas que simplesmente acontecem e a medicina ainda não consegue explicar”, desabafou.